Onde a poesia e a liberdade se abraçam.

.posts recentes

. Chicoespertismo

. Onde está o Pinóquio?

. Faixa de Gaza

. Viva 2009!

. A crise dos bancos

. Afinal quem está a mentir...

. Alcântara e os contentore...

. O BPN e os impolutos

. Manifestação dos professo...

. Ainda o BPN

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Sábado, 29 de Novembro de 2008

A crise dos bancos

A crise bancária aí está, profundamente instalada e sem que ninguém saiba quando terminará. É tempo de reflectirmos sobre tudo o que se passou e tentarmos perceber como se chegou a este ponto.

 

Não foram as aplicações feitas em nome de particulares por gestores de topo dos bancos que arruinaram o sistema bancário. Se muita gente deu ouvidos ao canto da sereia dos lucros mirabolantes prometidos, isso não trouxe danos aos bancos pois o capital não era deles. O problema é que os bancos, por natureza gananciosos, não se limitaram a uma actividade bancária normal, ganhando a diferença entre o que pagavam aos depositantes e o que recebiam dos empréstimos que efectuavam e começaram também eles a utilizar o capital dos depositantes, quando não contraíam empréstimos internacionalmente, para também «jogarem» na bolsa e fazerem mais valias enormes de um dia para o outro. Deu no que deu.

 

Depois dos problemas no BPN é agora o Banco Privado Português, para muitos desconhecido até há poucos dias, a confessar debilidades e a solicitar um aval ao estado. Se a nacionalização do BPN causou alguma estranheza, a intervenção do governo neste caso só se compreende à luz da afirmação de Sócrates de não deixar falir nenhum banco português. Habituados que estamos às mentiras do primeiro-ministro, que prometeu não aumentar impostos e criar 150 mil postos de trabalho, bem poderia continuar a faltar à verdade que, neste caso, até acharíamos positivo.

 

Alguém consegue explicar por que razão vai o estado meter o dinheiro dos pobres que pagam impostos no banco dos ricos que tudo fazem para os não pagar?

 

 



 

publicado por Viriato às 21:17
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. E assim nasce mais um...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds